Destaques Arquivo MPR #05

Retrato a cores do Presidente da República Óscar Carmona

A documentação legada ao Museu pelos familiares de Óscar Carmona está entre os conjuntos mais extensos que podemos encontrar no Arquivo dos Presidentes – MPR. Este mês, recorremos a uma curiosa imagem para evocar uma personalidade esquecida, mas relevante, do cinema português.

Nela, o chefe do Estado encontra-se vestido com farda de honra e Banda das Três Ordens, na sala Azul do Palácio de Belém (atual Sala dos Embaixadores), e a ocasião não é para menos: trata-se de uma das primeiras experiências de utilização de película fotográfica colorida em Portugal.

O promotor da sessão é José César de Sá (1905-1976), considerado entre os seus pares como um dos mais competentes técnicos do cinema português. Foi pioneiro na criação de infraestruturas cinematográficas em Portugal, e dirigiu a fotografia, produziu e realizou dezenas de filmes e documentários, como O Pai Tirano ou Fátima, Terra de Fé.

O «grande animador do cinema português», como lhe chamou o Diário de Notícias em 1949, montou ainda o laboratório de imagem da Tobis, instalou na sua produtora, Filmes Portugueses César de Sá, laboratórios de processamento de filme colorido e importou um dos primeiros equipamentos profissionais de gravação magnética de 35 milímetros (Reeve Sound), entre muitas outras inovações técnicas de que foi precursor em Portugal, como o filme a cores a que alude a fotografia, executada entre 1948 e 1949.

Multimédia

Percorra a galeria carregando nas imagens para ampliá-las e ler as respetivas legendas.

Retrato do Presidente da República Óscar Carmona. Retrato de José César de Sá. César de Sá durante a rodagem do filme «Chaimite». «Cinema a cores em Portugal» — destaque na secção Teatros e Cinemas do «Diário de Lisboa», onde se fala da apresentação cinematográfica que César de Sá fez para o Presidente da República, Óscar Carmona, no Palácio de Belém. Terá sido nesta ocasião que o produtor fotografou a cores o chefe do Estado português.