Últimas aquisições MPR #07

Muitos objetos comuns foram redecorados com as imagens e os símbolos da República, proclamada no dia 5 de outubro de 1910, da varanda do edifício dos Paços do Concelho de Lisboa. As bolas de vidro para pendurar, por exemplo, usadas nas decorações de Natal, republicanizaram-se; mostravam retratos dos políticos mais conhecidos, o busto e as cores da República, fazendo propaganda dos novos ideais, em qualquer altura do ano.

Esta bola apresenta o retrato de duas figuras de proa: Teófilo Braga, já com cabelos brancos, que chefiou o Governo Provisório saído da Revolução, e Alexandre Braga, deputado e grande orador. Vemo-los envolvidos num ambiente naturalista, dado pelas rosas, amores-perfeitos e até pombas — no caso de Teófilo—, como se a Era Republicana fosse mensageira da paz e da harmonia.

Porque são frágeis, conhecem-se poucas bolas que tenham chegado até aos dias de hoje. A Fundação Mário Soares guarda uma, da coleção de António Pedro Vicente, emprestada para a exposição «Boa Viagem, Senhor Presidente! De Lisboa até à Guerra. 100 Anos da Primeira Visita de Estado», realizada em 2017.

Recentemente, o Museu da Presidência da República adquiriu esta bola de vidro republicana com 15,5 centímetros de diâmetro, em excelente estado de conservação. No topo, falta-lhe uma argola metálica, só assim poderia ser pendurada.

Multimédia

Percorra a galeria carregando nas imagens para ampliá-las e ler as respetivas legendas.

Bola de vidro republicana com o retrato de Teófilo Braga. Bola de vidro republicana com o retrato de Alexandre Braga.